Vamos falar de autoestima?

Para a psicologia, a autoestima se inclui na avaliação subjetiva que uma pessoa tem de si mesma, podendo avaliar-se positiva ou negativamente.
Para trabalharmos a autoestima, devemos praticar alguns atos de amor-próprio, que são eles:

• Autoaceitação;
• Autoconfiança;
• Eliminar a culpa;
• Aceitar seus erros e aprender com eles;
• Sinceridade;
• Gratidão;
• Comemoração dos pequenos passos.

Cada vez mais estamos nos comparando aos outros.
Devemos saber que cada ser tem suas próprias vocações, ritmos, disposições, formações, vínculos e por fim, personalidades diferentes.
Quando nos comparamos, não levamos em consideração essas diferenças e pensamos assim: “Como o outro faz isso e aquilo e não consigo fazer igual ou melhor?”
A comparação é uma das piores causas da baixa autoestima, ela te leva a imaginar que é incapaz, feio, imperfeito, tem um desempenho baixo em relação ao outro.

Outros fatores como:

  • Abandono
  • Rejeição
  • Ambientes tóxicos
  • Bullying
  • Querer agradar a tudo e a todos também contribuem para a baixa autoestima.

A prática do amor-próprio, ajuda a encontrar em nós valores subjetivos positivos, que faz com que nos amemos intrínseca e extrinsecamente.
Para isso, faça as pazes com o espelho, olhe-se com outros olhos, valorize-se, cuide-se, estude, pratique atividades físicas e hobbies, ajude o próximo sem querer nada em troca, viva sua liberdade, diga sempre palavras positivas sobre si mesmo e afaste-se de pessoas tóxicas.
Você perceberá em si mesmo, coisas que até então havia deixado de enxergar por comparar-se tanto.