Serviço de audiologia começa a atender pacientes em São Caetano

Mais um serviço público de Saúde e de qualidade começou a atender a população de São Caetano do Sul na manhã desta segunda-feira (11/11). Na data, a Prefeitura iniciou oficialmente o funcionamento do setor de audiologia da cidade, para examinar e auxiliar os moradores que tenham dificuldades auditivas. O novo espaço está situado no segundo andar do Hospital São Caetano, no Bairro Santo Antônio.

O prefeito Paulo Pinheiro foi até a unidade hospitalar acompanhar de perto o princípio dos trabalhos do local e, na ocasião, explicou que, anteriormente, esse serviço era terceirizado e realizado fora do município – os pacientes precisavam se descolar até Santo André para passar pelas avaliações. “Aos poucos, estamos conseguindo melhorar o sistema de saúde de São Caetano, com criatividade e muito esforço”, ressaltou. “Saúde e Segurança, especialmente, são áreas que precisam de investimentos constantes. E estamos atentos a isso.”

“Além de oferecer o benefício aos moradores aqui na cidade, conseguimos, com a ação, mostrar toda a preocupação que temos em reorganizar a área de Saúde da cidade. As salas que receberam os aparelhos, por exemplo, estavam ociosas”, destacou Roberto Rodrigues, diretor-clínico do Hospital São Caetano – Thiago Tortorello, secretário dos Direitos da Pessoa com Deficiência ou Mobilidade Reduzida, também esteve presente no local.

Aparelhos – No espaço, que ocupa duas salas da unidade hospitalar, os fonoaudiólogos promovem avaliações nos pacientes com os aparelhos audiômetro (testa a capacidade de ouvir sons, além de localizar e identificar distúrbios auditivos) e imitanciômetro (para aferir as condições da orelha média e da tuba auditiva). Os locais ainda contam com cabine acústica, além de equipamento necessário para a emissão dos laudos dos exames com rapidez. As profissionais Joyce Andrade Setti e Petel Marcatti Tizzi são as responsáveis por operar a aparelhagem – Rosivania Almeida de Morais coordena o setor de fonoaudiologia sancaetanense.

Encaminhada por um neurologista da rede, Isabela Felisberto Teixeira, de 9 anos, acompanhada pela mãe Aline Felisberto Teixeira, 31 anos, estreou o espaço e foi a primeira a utilizar o serviço. “Facilitou demais porque da outra vez que ela teve de fazer o exame, nós tivemos de ir até Santo André. A Prefeitura acertou”, elogiou Aline.