Paranapiacaba lança projeto para voltar a ser referência turística

Vila de Santo André entra em processo de recuperação

No dia 18 de fevereiro, foi entregue ao Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Natural) o projeto de recuperação de Paranapiacaba. A vila, que entrou em declínio em 2009 com a falta de turistas, foi incluída no PAC Cidades Históricas de R$ 1 bilhão. A verba repassada para a vila será estipulada de acordo com o projeto, que deve ser analisado por técnicos do Iphan dia 5 de março, em Brasília. O prefeito da cidade Carlos Grana disse em visita à Paranapiacaba que a verba poderia chegar a até R$ 50 milhões.

O projeto de recuperação foi subdivido em quatro blocos, por nível de prioridade. O primeiro bloco é sobre a restauração de imóveis incluindo galpões ferroviários (como garagens de locomotivas, oficinas de manutenção e o almoxarifado da antiga companhia de trens “São Paulo Railway Company”), a antiga sede da Associação Recreativa Lyra da Serra e o campo de futebol da vila. Também será reconstruído um imóvel incendiado na região do Hospital Velho, além da reforma da fachada do prédio da biblioteca.

O segundo bloco é destinado à requalificação de espaços públicos, incluindo a manutenção dos esgotos e sistemas de drenagem, de acordo com o projeto original da vila.

A terceira parte visa à restauração do conjunto edificado da Vila Martin Smith, que conta com cerca de 330 imóveis de madeira e alvenaria.

A última parte do projeto cuida da elaboração do dossiê para solicitar à Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) o registro de Paranapiacaba como patrimônio da humanidade, proposta desenvolvida na gestão anterior.

Segundo Fabrício Gomes da França, secretário adjunto da Secretaria de Gestão de Recursos Naturais de Paranapiacaba e Parque Andreense, o principal ponto considerado no projeto de recuperação foi a importância dos imóveis na representação do modo de vida inglês e do patrimônio ferroviário.

“A Vila ganhará uma nova aparência, com imóveis restaurados, bem como novos espaços de visitação, como é o caso da Associação Recreativa Lyra da Serra”, disse o secretário, que afirmou que mesmo os imóveis que são alugados para moradia ou comércio serão restaurados.

O transporte de carga em Paranapiacaba, feito pela empresa MRS Logística, também está recebendo melhorias. “A empresa está investindo no aumento da capacidade de transporte do sistema de cremalheira. Para tanto, adquiriu novas locomotivas que permitirá ampliar a capacidade das atuais 7 milhões de toneladas/ano para 28 milhões toneladas/ano”, contou o secretário.

Os recursos recebidos do Iphan poderão ser utilizados até 2015, mas a expectativa para o término das obras é até a Copa, para atrair turistas com a revitalização da vila.