Muçulmana é impedida de fazer prova do Detran por usar véu

15

Caso ocorrido no Centro de Formação de Condutores de São Bernardo foi parar na polícia


A muçulmana Ahlam Abdul El Saifi, 29 anos, foi impedida na manhã deste sábado (15/10) de fazer uma prova do Detran em São Bernardo, porque se recusou a retirar o véu  que é usados pelas mulheres islâmicas por motivo religioso.

O exame para renovar a carteira de habilitação no Centro de Formação de Condutores da cidade foi bloqueado. A dona de casa chamou a polícia e o caso foi registrado no 1º DP de São Bernardo.

De acordo com o sheik Jihad Hassan Hammadeh, houve discriminação religiosa. O sheik é ligado à União Nacional das Entidades Islâmicas no Brasil. “Isso em nosso País é crime”, afirmou o sheik Jihad.

Ahlam, que na foto da carteira de habilitação está com véu, fazia a prova teórica quando foi informada que precisaria tirar o acessório por uma funcionária da autoescola. De acordo com o Centro de Formação de Condutores, o responsável por monitorar os exames do Detran deu a ordem. Os exames são monitorados através de câmeras instaladas nas salas de aula.

A argumentação do Centro é que qualquer peça que atrapalhe a identificação, como um boné ou um gorro, é vetada durante o exame, regra que também se aplicaria ao véu.

“Não é o véu, é a roupa por completo que a mulher muçulmana tem de vestir. É um traje religioso, o hijab”, afirmou Ahlam.

Neoclair Silvestrini, dono do Centro, afirmou que a decisão foi tomada por medo de ser punido pelo Detran, e não por discriminação.

Detran – Em nota, o Detran observa que “repudia veementemente” qualquer tipo de preconceito e “condena” a situação ocorrida em São Bernardo. De acordo com o Detran, não há qualquer orientação “que justifique a conduta da direção do citado Centro de Formação de Condutores”.

A nota do Detran informa ainda que será aberto processo administrativo “para apurar os fatos e tomar as medidas cabíveis, que incluem, inclusive, a possibilidade de descredenciamento da autoescola”.

A polícia vai chamar para depor as pessoas que trabalhavam na hora da prova. O Detran também terá de prestar esclarecimentos.

O Centro de Formação de Condutores informou que provavelmente houve um problema no computador de Ahlam, e que ela poderá fazer a prova novamente na segunda-feira (17/10).