EMTU tem três projetos para boulevard em Diadema

A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) possui três planos para alterações no trecho da linha do trólebus no Centro de Diadema paralela à avenida Fabio Eduardo Ramos Esquível. As propostas giram em torno da transformação do trecho em um boulevard comercial, assim como o existente no centro de Santo André.

“Essa área acaba gerando um polo muito forte de comércio. Estamos pensando nos projetos, mas mantendo a premissa do padrão de atendimento”, declarou Joaquim Lopes, presidente da EMTU.

Segundo Lopes, as opções que estão sendo analisadas a partir de estudo realizado são a de o corredor passar na avenida Fabio Eduardo Ramos Esquível, mas por cima do córrego Ribeirão dos Couros ou fazer o desvio parcial do trecho de 1,7 km, saindo do Terminal Diadema até a Avenida Antonio Piranga. A terceira opção é de apenas realizar uma requalificação do corredor, com reforma do trecho.

“Cada proposta tem suas vantagens e desvantagens. Nossa última conversa sobre o assunto foi com o ex-secretário de Transportes de Diadema, David Schimidt, ainda não retomamos a conversa e esperemos nos reunir agora com a nova equipe da secretaria”, explicou.

Repotencialização

A EMTU trabalha agora com a repotencialização do corredor de trólebus no trecho entre o Terminal Piraporinha, em Diadema, e São Mateus, em São Paulo. A mudança na rede elétrica do corredor vem após a eletrificação do trecho que vai do Terminal Jabaquara até o de Diadema. “A rede até São Mateus é antiga. Para aumentar a potencia precisamos criar condições para que a rede suporte uma demanda maior”, destacou.

Para tanto, também estão sendo implementadas mais 14 estações retificadoras. Será gasto no processo, eletrificação mais repotencialização, R$ 52 milhões. São cerca de R$22 milhões na eletrificação e R$30 milhões na repotencialização, mais a reforma da garagem dos ônibus.

Conforme Lopes, o trecho até São Mateus deve ser concluído até outubro, dentro do prazo estimado no começo do projeto, em 2012. Até o momento 72% do processo está finalizado. “Com a conclusão poderemos começar a substituir a frota pelos veículos elétricos”, afirmou Joaquim.

Os planos da EMTU são de possuir frota de trólebus 100% elétrica, o que transformaria o sistema em um “corredor verde”. “Temos poucos elétricos na frota. Vamos substituindo aos poucos”, apontuou.

Cronograma

Segundo Lopes, o cronograma de substituição ainda será discutido e montado, por isso, não há previsão de tempo e custo. O presidente acredita que o corredor verde é um ganho para todo o entorno da via e que as vantagens dos ônibus elétricos vão além da questão ambiental, de se mitigar o impacto. “Do ponto de vista da tecnologia você tem a questão do conforto. São o que há de mais moderno”, ressaltou.

Sobre outra questão atual envolvendo a EMTU, o fim da integração em Diadema, Lopes alegou que a proposta de o governo estadual bancar o valor ainda não é uma decisão consolidada. “Temos de buscar equilíbrio nestes contratos. O Estado assumir a integração é uma possibilidade, mas vamos ainda amadurecer a ideia de maneira serena.” O presidente reforçou também que a solução para o impasse depende de um conjunto de decisões e que a vontade é resolver o mais rápido possível, talvez até o final deste ano.