CASOS DE DENGUE CRESCEM, E CIDADES SE UNEM NAS DIVISAS

Santo André, São Bernardo e São Caetano estão preocupadas com os bairros que ficam no limite dos três municípios

Os municípios de Santo André, São Bernardo e São Caetano reforçaram na manhã desta sexta-feira  (03/05) o mutirão de prevenção e combate à dengue nos bairros que ficam na área dos limites entre as três cidades do ABCD.

Ações conjuntas entre as prefeituras aconteceram durante todo o verão, período mais crítico no que diz respeito à incidência do mosquito. A cerimônia dessa sexta, portanto, serviu também como uma espécie de encerramento dos trabalhos relacionados à dengue nesta temporada.

Estiveram presentes os secretários de Saúde das três cidades, além dos prefeitos de Santo André, Carlos Grana, e de São Caetano, Paulo Pinheiro. Os governos aproveitaram para atualizar os números dos casos de dengue na Região.

Em Santo André, foram 103 casos verificados entre janeiro e abril deste ano, sendo 81 importados (focos do mosquito em outras cidades, como as do Litoral paulista) e 22 autóctones, aqueles verificados na própria cidade. De acordo com o balanço municipal, os números são maiores que os de todo o ano de 2012, o que fez com que a atenção fosse redobrada. “Graças ao nosso trabalho e à responsabilidade dos agentes de saúde, os números ainda ficaram dentro de um controle aceitável”, comentou o secretário de Saúde da cidade, Homero Nepomuceno.

Sobre São Bernardo, o chefe da Pasta, Arthur Chioro, lembrou que o trabalho precisa continuar, já que Bertioga, por exemplo, tornou-se nesta semana a sexta cidade do Litoral a confirmar estado de epidemia para a dengue. “Tivemos 117 casos [janeiro-abril], sendo 85 importados e 32 na cidade”, comentou, dizendo que ainda é cedo para se consolidar um balanço comparativo em relação ao ano passado, mas que o patamar é um pouco superior ao de 2012.

Por fim, em relação a São Caetano, o secretário Sallum Kalil Neto listou 29 casos – 19 locais e 10 importados. A ação conjunta lembrou ainda que o foco agora é a H1N1, gripe conhecida também como Influenza A e que já matou moradores da Região neste ano.