Secretaria de Trabalho investirá na qualificação dos empregos em Santo André

*Da redação

Com a criação da Secretaria de Trabalho, Emprego e Economia Solidária, Santo André busca a qualificação da mão de obra, além de trabalhar por salários melhores e pelo respeito aos direitos dos trabalhadores. Foi este compromisso que a Pasta apresentou na manhã de sexta-feira (7) para pelo menos 100 representantes, de cerca de 20 sindicatos, no CPETR (Centro Público de Emprego, Trabalho e Renda).

CPETR é a sede da Secretaria de Trabalho, Emprego e Economia Solidária Segundo o secretário responsável pela área, Cícero Firmino da Silva, o Martinha, a Pasta é uma reivindicação antiga dos movimentos sindicais. “As prefeituras mantêm departamentos voltados à área de trabalho e emprego, mas a nossa é uma das primeiras a ter uma secretaria”, explicou Martinha. “Aceitamos o desafio e vamos assumi-lo com coragem, firmeza e responsabilidade. Como sindicalista, sei da importância do diálogo. Vamos visitar os sindicatos para expor a nossa proposta e ouvir as sugestões das entidades.”

Presente ao encontro, o prefeito Carlos Grana destacou a necessidade da integração regional para o desenvolvimento da cidade, principalmente por meio do trabalho. “Venho da origem sindicalista. Com a nossa nova secretaria, buscaremos a humanização do trabalho, com melhores condições para os funcionários”, declarou o chefe do Executivo.

RHODIA – Grana revelou ainda o objetivo de instalar a Secretaria de Trabalho, Emprego e Economia Solidária, juntamente com o CPETR, e as Pastas de Educação e Mobilidade Urbana, Obras e Serviços Públicos no terreno que pertenceu à indústria química Rhodia Têxtil S.A, e foi adquirido pela Administração. “Estes setores da Prefeitura funcionam em prédios alugados, por cerca de R$ 200 mil por mês. Ao levar os equipamentos para uma área própria, melhoraremos a qualidade do gasto público”, adiantou.

INSTITUTO FEDERAL – Entre os investimentos na qualificação da mão de obra andreense, será instalada na cidade uma unidade do IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo), vinculado ao MEC (Ministério da Educação), com capacidade para atender aproximadamente 1,2 mil pessoas em cursos do ensino médio e profissionalizante. As equipes da Prefeitura trabalham para que as aulas possam ser iniciadas já em agosto, no prédio do Centro Público de Formação Profissional Júlio de Grammont, no Jardim Cristiane. Futuramente, o instituto planeja instalar um Campus avançado no município, ampliando ainda mais a oferta de cursos.