São Bernardo terá mais cursos na área da cultura

Centros Baeta Neves e Jácomo Guazzelli terão aulas gratuitas de teatro e outras atividades

Em 2012, a partir do fim das férias escolares, a cultura ficarárevitalizada em São Bernardo, com dois equipamentos públicos recém-reformados.

Um deles é o Centro Cultural Baeta Neves, que passa a se dedicar principalmente ao teatro e à dança. Outro é o Centro Cultural Jácomo Guazzelli, com mais de 15 anos de existência e que oferecerá oficinas e cursos gratuitos no Bairro Ferrazópolis.

O Centro Cultural Baeta Neves é a primeira unidade de uma série planejada pela Prefeitura para organizar centros de formação artística que atuem de forma integrada. Por abrigar o teatro Abílio Pereira de Almeida com 170 lugares, o espaço fundado na década de 1990 foi considerado apropriado para oferecer aulas e receber temporadas de espetáculos. CLAC (Centro Livre de Artes Cênicas) é o nome do projeto de atividades teatrais.

O curso de multiformação – com teatro e dança – durará três anos e está com 200 vagas abertas, divididas por faixas etárias. O processo de reforma geral contou com reestruturação elétrica e hidráulica, além da troca de poltronas, sala de dança e pintura no total de R$ 1,8 milhão. “A requalificação do lugar visa sedimentar a vocação para o teatro e dança e realizar pesquisas e difusão”, disse o secretário-adjunto de Cultura, Osvaldo de Oliveira Neto.

Até março do ano que vem, o objetivo é lançar o Centro Áudio Visual, feito em parceria com o Ministério da Cultura com previsão de ficar pronto até o fim da gestão do prefeito Luiz Marinho (PT).

Provisoriamente, vai funcionar no Cenforpe (Centro de Formação de Professores de São Bernardo do Campo) até migrar para o complexo Cinematográfico Vera Cruz.

Ainda estão em estudo outras iniciativas. A terceira delas é o Centro de Artes Visuais, projetado para operar na Pinacoteca do município. A quarta e última é o Centro Livre de Música, atrelado à Orquestra Filarmônica do maestro Júlio Madaglia, no Teatro Martins Pena.

“O objetivo é colocar à disposição dos moradores uma cadeia descentralizada de artes que possa ser autosuficiente”, complementou Neto ao citar como exemplo os músicos que podem auxiliar na composição de trilhas para filmes do centro de Artes Visuais que podem, por sua vez, usar atores do CLAC.

Jácomo Guazzelli – Em 1962, a família italiana Guazzelli se estabeleceu no Ferrazópolis e contribuiu para a criação e solidificação do bairro. Em 2007, foi aprovado na Câmara o projeto de lei que batizou o centro cultural da área com o nome do patriarca Jácomo Guazzelli.

O local, fundado há cerca de 15 anos, foi o segundo equipamento público revitalizado e entregue à população. No último domingo (11/12), o centro foi reaberto como parte das demandas do Orçamento Participativo. Foi ampliado e passou por aprimoramentos estruturais com a construção de uma quadra esportiva. O custo da obra foi de R$ 373 mil.

A principal função do espaço é viabilizar oficinas sem custo com enfoque na juventude e na terceira idade. Eles poderão aprender artes plásticas, dança afro, circo, teatro, pintura em tela, violão e fotografia em turmas que comportam de 15 a 30 alunos. Os cursos começam ano que vem e as inscrições estão abertas nos endereços do quadrinho ao lado.

Serviço

Centro Cultural Baeta Neves
Praça Cônego Lázaro Equini, 240, Baeta Neves.
Informações: 4125-0582.

Centro Cultural Jácomo Guazzelli
Rua Rosa Pacheco, 201, Ferrazópolis. Informações: 4127-2324. Consulte o site saobernardo.sp