São Bernardo é a cidade que mais gera empregos no ABC

30

Em um contraponto em comparação aos outros municípios, São Bernardo do Campo está há dois meses consecutivos sendo a cidade do ABC que mais gera empregos na região. Conforme o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), foram registradas 2.883 admissões no mês de fevereiro.

De acordo com dados da prefeitura, o setor de serviços foi o que mais contratou, com saldo de 1471 postos de trabalhos preenchidos. Outro ponto positivo para a economia local,foi a criação de 855 empregos na indústria, seguido pelo comércio, com 354, construção civil, com 201, e agropecuária com dois postos de trabalho com carteira assinada.

Ocorreram inúmeras demissões com o fechamento de vários setores decorrente da pandemia do coronavírus. Luana Cristina de Brito Santos, 22, moradora do Parque Selecta, desligou-se de seu antigo emprego logo no início da pandemia, em 2020. “Eu estava trabalhando no bairro da Liberdade, em São Paulo, e era muito longe da minha casa. A empresa parou de pagar os custos do meu trajeto e chegou um momento que não aguentei tirar do meu próprio bolso”. Luana ainda conta que, por conta disso, precisou pedir demissão. “Foi extremamente difícil porque não tive direito ao seguro desemprego”, relata.

Sem dinheiro e sem alternativas, Luana diz que precisou se reinventar. “Peguei o que sobrou do meu vale alimentação e investi em doces de Páscoa no ano passado”. Luana mora sozinha e não tinha dinheiro para pagar todos os seus gastos. “Como não tive seguro desemprego, o auxílio emergencial foi essencial ”, desabafa. No começo deste ano, Luana conseguiu novamente se recolocar no mercado de trabalho, em uma empresa de telemarketing.

Já o professor Hildeson Fonseca de Souza, 30, morador do bairro Montanhão, foi apanhado de surpresa ao ser demitido, em julho de 2020, da instituição beneficente onde trabalhava, em São Bernardo. “A prefeitura cortou o repasse de verbas, o que impossibilitou a continuação do projeto social, ocasionando na demissão de 150 profissionais”, diz.

Mesmo que sua demissão tenha sido inesperada, Hidelson conta que no início ficou tranquilo por não ter dimensão dos reflexos da pandemia na economia. Porém, a partir do seu segundo mês desempregado, começou a se preocupar com o retorno no mercado de trabalho. “Eu já economizava antes da pandemia, mas acabei gastando boa parte das minhas economias para conseguir me manter, já que o seguro desemprego era somente de 50% do que eu ganhava enquanto estava empregado”. Hildeson conseguiu um novo trabalho no início do ano como professor de informática.

A prefeitura de São Bernardo tem uma agência pública de empregos, a Central de Trabalho e Renda (CTR), que oferece serviços gratuitos de intermediação de vagas de emprego, e é coordenada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Trabalho e Turismo (SDECT).

Devido às restrições de circulação de pessoas impostas pelo Plano São Paulo para combate ao coronavírus, o CTR está realizando atendimento através do telefone 2630-7618 para realizações de agendamento presencial para habilitação do seguro desemprego. Para recebimento de currículos, disponibiliza o e-mail ctr@saobernardo.sp.gov.br e realiza encaminhamento de QR Code para que os munícipes acompanhem as oportunidades de emprego no aplicativo Sine Fácil, do Governo Federal.

*Esta reportagem foi produzida por alunos do Curso de Jornalismo Presencial da Universidade Metodista de São Paulo