Preço da cesta abre 2016 com alta de 4,60% na Região do Grande ABC

Primeiro levantamento do conjunto de 34 itens apontou que os quilos da batata, cebola e tomate foram os que mais subiram

O primeiro levantamento de preços da cesta básica na Região do Grande ABC elaborado pela Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André) apontou que houve uma alta de 4,60% em relação ao último levantamento. Dos 34 produtos que compreendem a cesta, 27 subiram, cinco apresentaram queda e apenas dois se mantiveram estáveis. O percentual representa um custo adicional de R$ 23,33 para os consumidores. Entre os itens que se destacaram negativamente estão os quilos da batata, cebola e tomate que subiram, respectivamente, 30,19% (R$ 5,52), 26,93% (R$ 5,09) e, 21,92% (R$ 7,12). Além do feijão em outros 11,79% (R$ 2,94).

Para o engenheiro agrônomo da Craisa e responsável pela pesquisa, Fábio Vezzá de Benedetto, a alta nesta semana foi bastante expressiva, mas aponta um culpado pelo fato. “A interferência do clima, com o calor excessivo, aliado as chuvas de verão, que se caracterizam como fortes e pontuais, por não resolverem o problema de abastecimento hídrico dos reservatórios, ainda prejudicam as lavouras mais sensíveis, aumentando o ataque de insetos e podridões, além de dificultar a colheita nos casos da batata e do tomate”, destaca.

Outro caso de aumento significativo ficou por conta dos 11,79% no quilo do feijão carioca. No caso deste produto, Vezzá afirma que a umidade tem prejudicado a qualidade do grão que, segundo ele, não deve ser armazenado muito úmido sob o risco de perda de sua qualidade.

QUEDA – Das quedas apontadas na pesquisa, a maior delas foi registrada no sabonete em barra de 90 gramas, que recuou 7,41% (R$ 0,92), seguido pelo quilo do sal refinado em outros 4,02% (R$ 1,28), além da mesma quantidade da farinha de trigo em outros 3% (R$ 2,59).