Nutricionista sugere prato econômico para as ceia de Ano Novo

Um prato alternativo para quem está sem dinheiro e não pode desfrutar de uma ceia de Natal ou de Ano Novo requintada. Esta é a proposta da nutricionista e encarregada do Banco Municipal de Alimentos da Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André), Alessandra Yumi Ito Gomes. Para as famílias que não abrem mão da tradição de montar a mesa oferecendo aves como prato principal, ela sugere receitas com o frango, uma carne fácil de encontrar e que nesta época do ano custa menos da metade do peru.

O primeiro cardápio sugerido pela especialista é o Frango Assado ao Molho de Laranja que pode servir muito bem até dez pessoas. Para ser elaborado serão necessários: 2,5kg de coxa e sobrecoxa ou apenas sobrecoxa de frango; vinha d’álho (vinagre, cebola, alho, sala, orégano e folhas de manjericão a gosto); 900 gramas de batatas (seis unidades) grandes cortadas em cubos; além de 600 ml de suco de laranja. Já os itens para a elaboração do molho são: duas xícaras (chá) de água; duas colheres (sopa) de amido de milho e sal e cebolinha a gosto.

Segundo a nutricionista, além de saudável, o prato faz bem para o bolso, já que são necessários cerca de R$ 20 para se preparar esta sugestão, considerando os preços do quilo do frango (R$ 5,17), da batata (R$ 2,66) e da laranja (R$ 1,52). “É perfeito para quem não pode gastar muito para produzir uma ceia mais sofisticada. E uma opção alternativa e que não foge padrão natalino. Fica delicioso, bonito e agrada a família e amigos”, destaca Alessandra. A mesma receita feita com peru – cujo quilo está R$ 13,17 – sairia 100% mais caro: cerca de R$ 40.

A outra sugestão de prato sugerido é o Cuscuz Econômico de Frango. Para produzir serão necessárias: aparas de frango assado e desfiado; dois tomates picadinhos; uma lata de milho verde; quatro xícaras (chá) de farinha de milho (em flocos), um litro e meio de água fervente; meia xícara (chá) de pimentões (amarelo, vermelho e verde) picados; duas colheres (sopa) de colorau; sal e orégano a gosto; uma cebola pequena; dois dentes de alho picadinho; e duas colheres (sopa) de óleo. Para decorar o prato, será preciso: dois ovos cozidos em rodelas; dois tomates firmes em rodelas; uma de ervilha; além de salsa e cebolinha a gosto.

PREPARO – A primeira receita é simples de fazer, garante a profissional, ao explicar o passo a passo. “Coloque o frango de molho no vinha d’álho por 30 minutos. Despeje os pedaços de frango em uma assadeira distribuindo as batatas e as folhas de manjericão e regue com o suco de laranja. Asse em forno médio coberto com papel alumínio por aproximadamente 50 minutos e regue com o caldo durante o cozimento. Ao final, retire o papel alumínio e deixe dourar.”

Para elaborar o molho, recomenda Alessandra, basta retirar o caldo da assadeira e coar. “Em uma panela, em separado, acrescente água, amigo de milho e o sal. Mexa a mistura até ferver (3 minutos), desligue o fogo e acrescente duas colheres de cebolinha verde picada. A partir daí, é só servir com o frango”, orienta.

O preparo do cuscuz também não tem segredo. “Unte a forma de anel somente com óleo, disponha os alimentos da decoração: ovos cozidos, tomates em rodelas, ervilhas, salsa e cebolinha. Em uma panela refogue o óleo, cebola e o alho, adicionando o frango desfiado e deixe refogar até dourar um pouco. A partir dai, junte os pimentões, tomate, milho verde, colorau e a água fervente. Adicione o sal a gosto e, por último, a farinha de milho flocada, sendo uma xícara por vez. Deixe cozer por aproximadamente quatro minutos e despeje ainda quente na forma untada e decorada”, explica a nutricionista. “Pode ser servido quente ou frio.”

DICAS – Para que não haja desperdício, Alessandra aconselha utilizar recipientes limpos e com tampas para acondicionar os alimentos. Além disso, é preciso esperar esfriar – em caso de pratos quentes – para acomodar na geladeira. Outra dica é usar banho-maria para manter o prato aquecido. “Se o alimento estiver na panela ou assadeira é ideal utilizar a água, não diretamente o fogo, assim é possível manter o que foi preparado bem quentinho, sem ressecar os pratos quentes”, alerta.