Estudo aponta que homens jovens e pobres são os mais afetados pela violência

Um estudo rev­ela que homens jovens e pobres são os prin­ci­pais sus­peitos e víti­mas dos homicí­dios no Brasil. A vio­lên­cia atinge prin­ci­pal­mente homens pobres e negros com idade entre 15 e 24 anos. Os dados são do estudo Avanço no Socioe­conômico, Retro­cesso na Segu­rança Pública, Para­doxo Brasileiro?, do doutor Luis Flávio Sapori.

Sapori é pro­fes­sor e coor­de­nador do Cen­tro de Pesquisas de Segu­rança Pública da Pon­tif­í­cia Uni­ver­si­dade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). Segundo ele, os homens jovens, além de acu­sa­dos pela maior parte dos crimes, tam­bém são as maiores víti­mas da vio­lên­cia. O estu­dioso destaca o aumento no uso de armas de fogo como agravante.

A pesquisa aponta que três fatores con­tribuem para o aumento da vio­lên­cia e homicí­dios no Brasil. São eles: a con­sol­i­dação do trá­fico de dro­gas, (con­sumo); ele­va­dos níveis de impunidade; e a neces­si­dade de adoção de medi­das mais efi­cientes para com­bater os dois aspec­tos anteriores.

Segundo Sapori, ape­nas os esforços para com­bater a pobreza não asse­gu­ram a redução da vio­lên­cia nem a da taxa de homicí­dios no Brasil. Ele afirma: “É pre­ciso des­fazer esse senso comum de que com­bat­endo a pobreza quase que de maneira ime­di­ata será pos­sível reduzir a vio­lên­cia e a taxa de homicí­dios no País”.

O estudo foi baseado em dados forneci­dos pelo Insti­tuto Brasileiro Geografia e Estatís­tica (IBGE), Insti­tuto de Pesquisa Econômica Apli­cada (Ipea) e das Nações Unidas.