Estado adia cobrança pela integração em Diadema

Expectativa é que cobrança não seja feita antes de Reali reunir-se com o Estado


A EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) adiou o início da cobrança pela integração entre os ônibus municipais e os terminais de trólebus de Diadema e Piraporinha. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira (09/02) pela Prefeitura de Diadema. Não foi anunciada uma nova data para iniciar a cobrança do serviço, que é gratuito há mais de 20 anos.

O adiamento foi anunciado pela EMTU ao secretário de Transporte de Diadema, Ricardo Perez.  A expectativa é que a cobrança não seja feita antes de o prefeito Mário Reali (PT) se reunir com o secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, ou com o governador Geraldo Alckmin (PSDB).

No início desta semana, o governo do Estado encaminhou um ofício técnico à Prefeitura informando que a partir de 12 de fevereiro, ou seja, no próximo domingo, passaria a cobrar  R$ 1 a ida e R$ 1 a volta pela integração entre os ônibus municipais nos terminais de trólebus de Diadema e Piraporinha.

A notificação pegou todos de surpresa, já que o início da cobrança aconteceria antes mesmo de o prefeito conversar com Jurandir. Inclusive, nos dois terminais de trólebus já foram instaladas as catracas para a cobrança. O início do pagamento pela integração seria no mesmo dia em que a tarifa do metrô e trólebus aumentaria de R$ 2,90 para R$ 3. De acordo com a Prefeitura, mais de 40 mil pessoas utilizam por dia integração nos terminais de Diadema e Piraporinha.

Na avaliação de Reali, a decisão pelo fim da integração gratuita entre os ônibus municipais e os terminais de trólebus não é definitiva. O prefeito afirma que o ofício anuncia uma decisão técnica e não política. As catracas para a cobrança dos usuários já foram instaladas.

“Acredito que ainda dá tempo de reverter e vou trabalhar para isso até o fim. É um absurdo o usuário ter de pagar pela integração”, analisou o prefeito de Diadema.

Para o presidente do PT, Josemundo Dário de Queiroz, o Josa, a pressão popular deve ter sido importante para o adiamento da cobrança.

Manifestação será segunda-feira – Mesmo com o adiamento da cobrança da integração, a manifestação contra o fim da gratuidade será nesta segunda-feira (13/02), às 17h, no Sindicato dos Metalúrgicos de Diadema (avenida Encarnação, 290), próximo ao Terminal Piraporinha.

O objetivo da manifestação é pressionar o governador Geraldo Alckmin para manter a integração gratuita. A ação é organizada pelo PT, outros partidos e movimentos sociais, estudantil e sindical.

Encontro entre Reali e secretários será nesta terça-feira – O prefeito Mário Reali (PT), vai se reunir com o secretário estadual de Desenvolvimento Metropolitano, Edson Aparecido, e com o de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, na terça-feira (14/02), para tentar chegar a um acordo sobre a manutenção da integração gratuita.

Reali também tinha intenção de um encontro com o governador Geraldo Alckmin (PSDB), mas a agenda não foi confirmada. O prefeito afirma que as mudanças foram feitas sem abrir discussão com os sete prefeitos e de maneira “unilateral”.

“Os prefeitos e deputados da Região estão indignados com a atitude do Estado. E isso mostra que não tem nenhum posicionamento partidário. Queremos discutir e ter uma relação de diálogo e de construção de mudanças”, criticou.