Entrevista da Revista MRV com Paula Fernandes

Paula Fernandes

Compositora, instrumentista e voz inconfundível. Assim é Paula Fernandes, a mineira de Sete Lagoas que vem conquistando o Brasil. O dueto com o rei Roberto Carlos, durante um show no final de 2010, serviu para projetá-la definitivamente na mídia, mas a verdade é
que Paula já percorreu um longo caminho.
São 19 anos de muito trabalho, iniciado ainda criança, aos 8 anos, em apresentações em festas e eventos. O primeiro dos seis CDs gravados aconteceu quando ela tinha apenas 10 anos. O sertanejo era a marca da cantora precoce, o que a levou a participar de programas nas rádios locais relacionados ao estilo. Aos 12 anos, Paula se mudou para São Paulo, onde shows em rodeios deram-lhe a oportunidades de viajar pelo país. Não foi, entretanto, uma incursão fácil e, depois de seis anos, a volta para Minas Gerais indicava novos rumos.
Foi a vez de investir nos estudos (ela cursou Geografia) e em shows variados, especialmente em barzinhos, como uma forma de não desistir do sonho de uma carreira profissional. Deu certo. Com repertório diverso, a voz de Paula Fernandes começou a conquistar um novo público e também o interesse de gravadoras. Ela gravou trilhas sonoras para as novelas da Rede Globo América, Paraíso, Escrito nas Estrelas e Araguaia e, em 2008, foi contratada pela Universal Music.

Vitória da competência e da persistência da artista. A venda dos CD e DVD “Paula Fernandes ao vivo”, lançados em 2011, mostra que a carreira está em alta. São mais de 750 mil cópias de um e 500 mil do outro, o que colocou a cantora entre as mais tocadas nas rádios. Para se ter ideia do fenômeno, foram vendidos meio milhão de CDs somente
nos quatro primeiros meses após o lançamento, o que lhe garantiu a posição entre os dez mais comercializados no país. Não é à toa que a cantora já se prepara para uma carreira internacional.

 

Revista MRV: Você transita entre vários estilos musicais – sertanejo, country, pop, MPB e um variado repertório internacional. Com qual deles
há mais identificação?

Paula Fernandes: Sou uma representante da música popular brasileira de forma geral. Minha origem é sertaneja,
talvez por isso este estilo seja mais forte em mim, e até creio que nada no mundo poderia preencher este espaço. Mas eu me identifico com tudo o que canto, com a música, pois sem ela eu me perderia para mim mesma.

 

Esta versatilidade facilita ou dificulta a construção da carreira do músico?

Nunca gostei de rotular minha música. Por ser compositora, não posso me reprimir. Nas minhas canções está impresso aquilo que sinto. Essa é a minha essência mais profunda. Os sentimentos facilitam a construção da minha arte, transmitem minha emoção e intensificam o que se passa em minha alma.

 

Como é seu processo de criação? De onde vem a inspiração para suas composições?

Minha inspiração vem do campo e da natureza, acontece de uma forma bem natural, sem avisar. Nunca parei exatamente para compor uma canção, num momento em que dissesse “agora, vou compor”. Guardo o instante, a emoção daquilo que normalmente não digo e transformo em música.

 

Quem são seus ídolos dentro e fora do Brasil?

Eu gosto muito do trabalho do John Mayer e da Taylor Swift.

 

A grande repercussão do seu trabalho aconteceu após uma longa caminhada. O trajeto foi feito de mais flores ou de mais espinhos?

Tudo na vida tem a data e o momento certo para acontecer. Tive um processo bem natural, aos poucos. É impossível avaliar, medir nossos caminhos e seus obstáculos. O mais importante é acreditar na força que possuímos e que, uma hora, podemos vencer.

 

Você gravou trilhas sonoras de várias novelas. Qual a influência desses trabalhos no sucesso atual? Em algum dos casos você compôs especialmente para a novela?

Ainda não aconteceu de compor especialmente para uma novela, mas seria algo legal. Ter músicas em trilhas é fantástico. Elas foram e continuam sendo uma grande oportunidade de mostrar minha arte para meus fãs de todo Brasil.

 

O seu quarto álbum, Dust in the Wind, de 2006, trouxe diversas canções de um repertório internacional. Você tem vontade de fazer carreira internacional?

Sim, seria maravilhoso representar nosso Brasil lá fora através do meu canto. Também já tive a oportunidade de gravar com Michael Bolton em
uma das faixas de seu novo CD. Como disse, sinto que as coisas estão acontecendo de uma forma natural.

 

Como você avalia a projeção alcançada pelo álbum “Paula Fernandes: ao Vivo”, lançado este ano?

Diria que estou vivendo a melhor fase de minha vida e carreira! Que as sementes plantadas durante 19 anos estão sendo espalhadas e espero
que elas germinem e frutifiquem nos corações das pessoas que gostam da minha música.

 

Você teve a oportunidade de viver e conhecer o interior do país. De que forma isso reflete no seu desempenho como cantora e na sua vida pessoal?

Foi uma fase muito importante da minha vida, pois pude amadurecer muito profissionalmente e como ser humano. Agradeço a Deus por ter tido esta oportunidade, já que vivemos num país onde existem grandes
desigualdades sociais, muita carência. Comecei a cantar e a viajar muito cedo, acabei conhecendo uma realidade que me fez aprender bastante.

 

Sua voz é forte, marcante e, ao mesmo tempo, suave. Como você a preparou? Quais são oscuidados para mantê-la?

Eu não tive aula de canto e nenhuma formação acadêmica. Porém, nunca fumei, não tomo bebida alcoólica e me alimento de coisas mais naturais. Sobre rotina, tenho uma fonoaudióloga que cuida da minha voz e sempre tive esses cuidados especiais e alimentares que me ajudam no dia a dia.

 

Com uma agenda lotada de shows, ainda sobra tempo para a família?

Claro. Sempre que posso, eu volto para casa. Gosto muito de curtir minha família e meus amigos. Nos momentos de folga, também adoro andar a cavalo e tomar banho de cachoeira. Mas o mais gostoso mesmo
é o colinho da mamãe.

 

Como você encara o sucesso, a exposição na mídia sobre assuntos pessoais e o frequente assédio?

Ainda estou me adaptando e sei que é uma responsabilidade muito grande. Mesmo com 19 anos de trabalho, tenho aprendido bastante agora. O sucesso é resultado do que sonhei e acreditei, vivo este momento pleno, a minha verdade. Estou por inteira em todas as coisas que faço e sinto que os assuntos são, de alguma forma, o retorno do que estou plantando em tantos corações na forma de canção.

 

Por falar no assunto, uma curiosidade eterna dos fãs: como está o “coração” da Paula Fernandes?

O coração está apaixonado pelo meu trabalho e à espera de um grande amor.


E sobre as novidades, o que o público pode esperar em 2012?

Estamos preparando o lançamento de um novo CD para o meio do ano que vem. Reconheço a importância de cada pessoa que viveu comigo todas essas minhas emoções e é para elas que dedico meu carinho no próximo trabalho