Deslizes na redes sociais podem prejudicar na busca de emprego

Essas ferramentas, porém, podem ser útil para conseguir uma vaga

O uso correto das redes sociais pode ser válido na hora de encontrar um emprego. Porém, na hora de ser selecionado para uma vaga, a forma de participar das redes sociais pode ser prejudicial e se tornar determinante para não ser escolhido.

Um exemplo é a exposição exagerada na internet, como no Facebook. Fotos inadequadas, postagens ofensivas, de cunho racista e homofóbico são alvo de observação por profissionais de recursos humanos de empresas contratantes.

A coordenadora de recrutamento da Wyser, empresa especializada em RH, Fernanda de Ornelas, 29, conta que a avaliação feita por meio do perfil comportamental e referências profissionais podem ser um diferencial. “Levamos em consideração se o candidato coloca as informações de forma clara e objetiva, detalhando as empresas em que atuou, cargos ocupados, experiências, ou seja, conteúdos que valorizem as suas qualificações, sem erros ortográficos”, explicou Fernanda.

Por outro lado, Luciana Tegon, 44, sócia diretora da Consultants Group by Tegon, empresa de recrutamento e seleção, contou que é recomendável não publicar fotos com bebidas na mão, em baladas, roupas inadequadas, comentários ofensivos e preconceituosos sobre temas como política, religião ou opção sexual. “Se a pessoa faz questão de se expressar, ao menos deve moderar o conteúdo para que não seja exibido ao público.”

Um exemplo foi citado por Luciana ao pesquisar o perfil de um candidato no Facebook, em que se deparou com apoio a grupos que incitam a violência. “Por ele simpatizar com atos de violência, infelizmente foi reprovado no processo em sua fase final”, contou.

Já há agências de emprego que usam o e-mail, por exemplo, para auxiliar no recrutamento, uma vez que muitos candidatos ainda não estão participando de uma rede social. A psicóloga e analista de seleção da Atual Empregos, Hana Mendes, 37, afirma que o e-mail ainda é o mais utilizado pela empresa para facilitar o contato com os interessados em vagas oferecidas.

Segundo Hana, as redes sociais são ferramentas de divulgação de vagas e uma das vantagens é o rápido retorno do candidato. “As redes sociais não se limitam apenas a diversão. Torna-se um excelente canal de divulgação de oportunidades de trabalho, ‘uma corrente do bem’.”

 *Esta reportagem foi produzida por estagiários da Redação Multimídia do curso de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo