Comerciantes do bairro criticam; passageiros aprovam e apontam redução no tempo de viagem

Um ano depois de ser instalada na av. Dr. Rudge Ramos, a faixa exclusiva de ônibus divide opiniões entre comerciantes e usuários dos ônibus que circulam pela via.
Desde o dia 11 de agosto de 2015, quando a faixa foi implantada, os lojistas reclamam de prejuízo em seus negócios. Segundo eles, as vendas caíram entre 30% a 40%.
A faixa se estende por 2.900 metros. Ela tem início na Praça São João Batista até a divisa da cidade com São Paulo. Pela regra, somente circulam ônibus na faixa, das 6h às 9h e das 17h às 19h30. Os carros só podem passar por ela quando precisam fazer alguma conversão ou entrar em alguma rua.
Um dos críticos do sistema é o farmacêutico Leandro Aparecido Dantas, 34. Para ele a faixa afetou a visibilidade do comércio. “Principalmente no horário estipulado. Os clientes não conseguem mais estacionar para comprar remédios e medicações.”
O proprietário da loja de roupas infantis Gustavo Romão da Mota, 31, chegou a organizar um abaixo assinado, enviado para a prefeitura, com mais de 2.000 assinaturas, e também criou um movimento, no Facebook, intitulado “Não ao corredor”. Ele e outros comerciantes espalharam cartazes pela avenida contra o sistema.
Mas se os comerciantes reclamam, os usuários de ônibus aprovam a faixa que, para eles, facilitou o transporte e diminuiu o tempo de viagem. Um deles é a assistente de atendimento Isis Priscila Rubbo, 31, que utiliza ônibus entre 8h e 19h. “À noite, quando volto de São Caetano, percebo que o ônibus anda mais rápido, mesmo sendo horário de pico”, afirmou.
A publicitária Nathalia Cairo, 22, que faz o trajeto em direção a Diadema de coletivo, durante a manhã, também percebeu melhora no trânsito. “Com a faixa, o acesso à av. Caminho do Mar ficou mais rápido”, disse.
Outro ponto questionado por lojistas e motoristas é o fato de os ônibus deixarem a faixa para ultrapassar os carros. A reportagem questionou a Prefeitura de São Bernardo, na sexta-feira (14), sobre quais as consequências quando isso ocorre, mas não obteve resposta.
No último dia 6 de agosto, a prefeitura informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que, com a implantação da faixa, os ônibus passaram a cumprir os horários programados e o tempo das viagens foi reduzido em oito minutos.
Multas
Após um ano de faixa exclusiva, foram aplicadas 32.803 mil multas, por meio de radar, a motoristas que circularam na faixa em horário irregular (6h-9h/17h-19h30).