São Bernardo, bola da vez para os investimentos no setor de defesa

Cidade, que vai receber uma fábrica de caças, cada vez mais se firma como destino de investimentos produtivos no setor de defesa e segurança

Empresários interessados em investir no setor de defesa têm encontrado terreno cada vez mais fértil em São Bernardo. A cidade, que irá receber uma fábrica para a produção das estruturas do caça Gripen NG, encomendados pelo governo federal para modernizar a frota da Força Aérea Brasileira, é cada vez mais atrativo para empresários do segmento.

Uma das formas da Prefeitura, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo (Sdet), fomentar esse setor econômico tem sido por meio da criação do Arranjo Produtivo Local (APL) de Defesa, instância que reúne poder público, empresários, representantes sindicais e da academia. A meta é formular políticas e ações que facilitem o investimento, criação de emprego e renda.

Thomas Danm, proprietário da Etage, empresa que atua nas áreas de petróleo e gás, esclarece a instituição do APL de Defesa, assim como outras ações da Prefeitura, como missões comerciais na Suécia, tem gerado “excelentes oportunidades” para que os empresários passem a fazer parte da cadeia produtiva de defesa e diversifiquem seus investimentos no município.

O representante da Eztec Construtora, Clóvis Roque Xavier, definiu como um recomeço as ações planejadas pelo APL para o segmento. “Finalmente vi uma luz no fim do túnel. Tínhamos a ideia de que tudo que começa no poder público não tem continuidade e, com o empenho da Prefeitura, da Agência de Desenvolvimento do Consórcio e das Forças Armadas vamos ter o fomento que a região precisa.” 

“A hora é de se preparar para o ‘combate’, melhorar o cenário e dar respostas para os desafios que se apresentam”, revelou Sinclair Mayer, general do Exército que realizou palestra na última reunião do APL. Segundo ele, os produtos de defesa geram novas tecnologias e podem ser aproveitados em outras áreas por seu alto valor tecnológico e importante impacto para a indústria do país. “É natural que o Brasil, que tem como objetivo estar entre os grandes do mundo, busque autonomia nos produtos de defesa para poder se impor como nação soberana dentro do contexto global”, afirmou.

Para o coronel José Vítor Siqueira Bazuchi, o planejamento da Prefeitura é um dos grandes diferenciais de São Bernardo, o que demonstra que a cidade não “abandonou sua vocação natural para indústria de ponta, como é a de Defesa”.

Pesquisa – Além das reuniões constantes do APL de Defesa, a Prefeitura realiza e apoia seminários e outras atividades para o fomento da área. O assessor do gabinete do prefeito, por exemplo, desenvolve estudo para a constituição do Parque Tecnológico de São Bernardo, que também vai realizar pesquisas em Defesa. Já Giovanni Rocco Neto, secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Econômico do Grande ABC, elaborou estudo sobre o potencial competitivo das sete cidades dentro da cadeia produtiva de defesa.