Prefeitura de SBC implanta coleta porta a porta com motolixo em comunidade de difícil acesso

*Da redação

Até dois meses atrás, cerca de 15 mil moradores da comunidade Batistini, localizada no bairro com mesmo nome, em São Bernardo do Campo, precisavam caminhar cerca de 700 metros para tirar o lixo de dentro de casa. De difícil acesso, o local não recebia os caminhões de lixo que não entravam nas ruas, vielas e becos. A saída era levar o resíduo domiciliar até um dos 20 containers com capacidade para 1100 litros cada, espalhados pela comunidade.

No entanto, uma iniciativa da Prefeitura de São Bernardo do Campo colocou fim a esta situação. A motolixo, um triciclo motorizado com reservatório para até 250 quilos de material sólido, percorre, diariamente, 40 ruas garantindo a coleta porta a porta. A ação faz parte do Projeto Ponto Limpo e é inédita no Estado de São Paulo e região metropolitana. Segundo Valdomiro Cruz, morador do bairro há 10 anos, a paisagem do local mudou completamente, “antes era tudo diferente. Estamos muito satisfeitos, melhorou 100%”.

Em média, a motolixo faz 15 viagens por dia e retira quase quatro toneladas de lixo, que é despejado no “compactainer”, que processa os resíduos sólidos. Por sugestão dos próprios moradores, José Fausto dos Anjos, de 35 anos, residente na comunidade há 20, é um dos dois coletores contratados para trabalhar no projeto. Alternando diariamente entre o itinerário feito pela motolixo e a compactação dos detritos recolhidos, José Fausto fala com orgulho sobre melhoria do bairro, que “antes era muito sujo e as ruas ocupadas pelo lixo.

Hoje, o projeto Ponto Limpo conta com 80% de adesão dos moradores. O processo de conscientização da comunidade se deu a partir de um trabalho de educação ambiental porta a porta, com 16 agentes ambientais, previamente treinados e munidos de folhetos explicativos. Dois desses agentes permanecem fazendo rondas diárias nas ruas mapeadas, a fim de garantir o cumprimento da escala de coleta. Caso algum morador coloque o lixo em sua porta fora do dia estipulado para a sua zona, os agentes ambientais entram em contato com o morador, lembrando-o sobre os dias certos para o recolhimento do lixo.

 A coleta na comunidade foi dividida em duas zonas. Uma azul, onde o serviço é realizado nas segundas, quartas e sextas, e uma vermelha, atendida nas terças, quintas e sábados, sempre das 8h às 16h.