Perdi o emprego. E agora&#63

Consultora dá dicas de como dar a volta por cima e ir atrás de nova vaga

A taxa de desemprego no Brasil atingiu 8,1% no trimestre encerrado em maio, maior índice desde 2012, quando o IBGE iniciou a série. Apesar de o mercado estar mais enxuto, oportunidades para quem perdeu o emprego ainda existem.
Consultada, a diretora de transição de carreira da consultoria especializada Stato, Karina Freitas, oferece sete dicas para quem perdeu o emprego lidar com a situação da melhor forma e conquistar um novo trabalho.
1. Ruptura
Ao receber a notícia, a primeira coisa a fazer é ir para casa e administrar suas emoções. Permita-se viver o luto, mas não por muito tempo: esta é uma preciosa oportunidade para refletir e definir os próximos passos da sua carreira.
2. Avaliação
Passado o baque, revisite sua trajetória, avalie o que vale a pena manter e o que não faz mais sentido e quer eliminar. Faça escolhas e um planejamento não apenas para a próxima recolocação, mas também para os próximos ciclos da carreira.
3. Reformulação
Definido um objetivo, é hora de reformular o currículo. Opte por modelo conciso e bem redigido, com no máximo duas páginas. Insira dados pessoais, objetivo, formação, resumo das qualificações, atividades profissionais, empregos anteriores e cursos de aperfeiçoamento.
4. Sem clichês
Nas entrevistas, destaque diferenciais competitivos, evitando só descrever cargos, pois você será mais atrativo para o mercado. Sobre seus defeitos: não vá no clichê ‘perfeccionista’. Conte suas falhas e o que faz para melhorar.
5. Rede de contatos
Recorra ao seu networking para ampliar a visibilidade e se conectar a novas possibilidades.
6. Atitude
Amplie seu espectro de possibilidades. O mercado pode não ter emprego, mas há muito trabalho. Oferecer consultoria e/ou prestação de serviço pode ser uma forma de se manter ativo e conectado à área de atuação.
7. Vida
Aproveite para fazer o que gosta, cuidar da saúde, curtir a família e organizar outras áreas da vida para voltar com mais energia.
Fonte: Zero Hora