Passando a limpo: mitos e verdades da alergia respiratória infantil

As alergias respiratórias são comuns em épocas mais secas e frias do ano. Elas surgem relacionadas a um conjunto de fatores, inclusive genéticos, em todas as faixas etárias. Em escala mundial, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 10% dos adultos e 20% das crianças têm rinite crônica.

Espirros, coriza, olhos lacrimejantes, congestão nasal, tosse e dores de cabeça são alguns dos sintomas que estas condições podem apresentar. Em bebês e crianças, estes sintomas podem desencadear outras doenças e problemas futuros. A fim de evitar isso, conheça os mitos e verdades sobre as alergias respiratórias infantis!

Tem cura?

As alergias respiratórias não têm cura definitiva, elas apenas são mantidas sob controle por meio de tratamentos médicos adequados e monitorados por um otorrinolaringologista de confiança. Além disso, é preciso evitar os agentes alergênicos, como poeira doméstica e outros componentes que desencadeiem uma crise.