Mulheres aumentam sua participação no mercado de trabalho na Região

*Da redação

Pelo segundo ano consecutivo a presença de mulheres no mercado de trabalho na região do ABC aumentou, chegando a 54,1% em 2013, contra 53,6% em 2012. Os dados foram divulgados na última quinta-feira (6) pela Fundação Seade e Dieese, durante a apresentação do Estudo Especial “A Inserção Feminina no Mercado de Trabalho na Região do ABC em 2013”, elaborado em parceria com o Consórcio Intermunicipal Grande ABC.

Comparada à de outros países, a taxa de participação feminina na região é maior do que a da Itália (37,9%), França (51,1%) e Espanha (51,6%). Entre os homens, a participação no mercado de trabalho no ABC permaneceu praticamente estável, passando de 69,9%, em 2012, para 70,0% no ano passado.

Segundo o levantamento, o desemprego também diminuiu entre as mulheres, caindo de 11,9% para 11,1% no mesmo período, enquanto a taxa de desemprego total dos homens cresceu de 8,9% para 9,2%. “É a menor taxa de desemprego entre as mulheres de toda a série histórica da pesquisa, criada em 1998”, lembrou Márcia Guerra, analista da Fundação Seade, responsável pela apresentação.

A retração da taxa de desemprego refletiu a elevação do nível de ocupação (mais 18 mil ocupações) que superou a expansão da força de trabalho feminina na região (mais 15 mil trabalhadoras).

A taxa de ocupação aumentou em todos os setores de atividade econômica analisados: na Indústria (4,5%), no Comércio (6,7%) e em Serviços (2,4%).

Outro ponto positivo registrado na pesquisa foi o crescimento do emprego com carteira assinada para as mulheres em 9,9%, enquanto para os homens essa ampliação da formalização ficou em 5,2%. “Não é só a ocupação, a formalização também está aumentando. Pela primeira vez mais de 50% das mulheres (52,%) têm carteira assinada, situação que para os homens já era registrada há tempos”, disse a analista do Seade.