MOVIMENTO DOS SEM-TETO FECHA ANCHIETA EM APOIO À REDUÇÃO DA TARIFA DO TRANSPORTE

No Paço de São Bernardo, passeata do MTST se reuniu a grupo de estudantes que já protestavam no Centro da cidade

Há mais de um ano acampados em Santo André, o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) voltaram a protestar na Região. Dessa vez, cerca de 300 sem-teto bloquearam a via Anchieta, em São Bernardo, no sentido Capital por volta das 7h. Uma barricada de pneus foi queimada no local e a pista ficou totalmente inacessível para os carros.

A manifestação teve como objetivo apoiar os atos contra o aumento das tarifas de ônibus, trem e metrô, organizadas pelo MPL (Movimento Passe Livre) e que há duas semanas tomam as ruas da Capital, e também  colocar o movimento sem-teto dentro da agenda nacional de protestos.

“Sabemos que o alto preço das passagens de ônibus afetam principalmente os trabalhadores da periferia. Queremos a revogação do aumento da passagem, o fim das horas de espera, terminais lotados. Tudo o que diz respeito a melhores condições para os trabalhadores, pobres, é nossa luta”, afirmou a coordenadora estadual do sem-teto Maria das Dores.

Os manifestantes permaneceram na via Anchieta até às 8h30, negociando com a Polícia Militar uma passeata até o Paço Municipal. Os sem-teto caminharam pacificamente pela via Anchieta, rua Frei Gaspar e avenida Faria Lima, chegando ao Paço. O trânsito na região central de São Bernardo ficou congestionado durante toda a manhã.

No Paço, por volta das 10h30, o MTST já dava o ato por encerrado quando estudantes secundaristas se uniram à manifestação. Por alguns minutos sem tetos e secundaristas permaneceram juntos no Paço protestando contra as passagens do transporte público, mas rapidamente a coordenação deu o ato por encerrado.

De acordo com a coordenação, alguns dos adolescentes estavam com pedras e o movimento não poderia responder pelas ações do grupo isolado.

Os estudantes decidiram no local seguir sozinhos pela avenida Lucas Nogueira Garcez, bloqueando uma pista da via, e chegaram até o Km 18 da Anchieta, por onde a manifestação prosseguiu. A pista local da Anchieta ficou interditada por cerca de 30 minutos, e foi liberada.

Além do ato e passeata em São Bernardo, o MTST realizou protestos nos mesmo moldes da via Anchieta em  M’Boi’Mirim, Francisco Morato e Régis Bittencourt.

O trânsito na região central de São Bernardo ficou congestionado durante toda a manhã. Não houve confronto com o PM, que acompanhou todo o trajeto da passeata.

Congestionamento – De acordo com a Ecovias, pela manhã manifestação deixou 2 km de congestionamento, chegando ao Riacho Grande. Para ajudar os motoristas, a concessionária da via montou dois desvios, um no km 25 e outro no km 23, ambos com acesso ao Rodoanel e a Imigrantes para que os motoristas seguissem viagem sentido Capital.

E no trevo de acesso ao Ferrazópolis e Bairro Demarchi, o trânsito começa a ficar menos congestionado. No início da passeata, um veículo modelo Renault Xsara, conduzido por uma mulher, atropelou uma manifestante na altura do trevo do viaduto que dá acesso à avenida Café Filho. A moça atropelada conseguiu se recompor sem grandes ferimentos.

Os manifestantes cercaram o Xsara e começaram a bater no veículo. A motorista deixou o carro e começou a chorar. A polícia interveio e separou os manifestantes do veículo