Furtos crescem 71,15% no ABC em maio, aponta SSP

A Secretaria Estadual de Segurança Pública divulgou nesta sexta-feira (25/6) as estatísticas em relação ao mês de maio. Sobre o ABC, o levantamento apresenta alta em 14 tipos de crimes. Os registros de furto cresceram 71,15% comparado o mês passado com o mesmo período do ano passado. Houve também crescimento nas ocorrências de furtos de veículos (66,26%) e de lesão corporal culposa por acidente de trânsito (86%).

Sobre o número de furtos, os registros subiram de 1.092 para 1.869, ou seja, 777 casos a mais. Rio Grande da Serra teve a maior alta percentual, 233%, saindo de 6 para 20 casos registrados no período comparado. Na sequência aparecem: Mauá com 101,6% (121 para 244), São Caetano com 93,4% (61 para 118), Santo André com 80,6% (346 para 625), São Bernardo com 57,8% (330 para 521), Diadema com 53,4% (187 para 287), e Ribeirão Pires com 31,7% (41 para 54 registros).

Em relação aos casos de furtos de veículos, a região viu o total de casos registrados em maio subirem de 415 para 690, ou seja, 275 casos a mais. O maior crescimento percentual foi em Mauá com 174% (de 50 para 137 casos), seguida por: Ribeirão Pires com 109% (11 para 23), Santo André com 73,8% (157 para 273), São Caetano com 53,3% (15 para 23), Diadema com 41,8% (55 para 78) e São Bernardo com 23,3% (154 para 153). Rio Grande da Serra repetiu o registro de três casos.

Nos dados sobre lesão corporal culposa por acidente de trânsito, o número de registros no ABC subiu de 125 para 232, foram 107 a mais. São Caetano lidera esse ranking percentual com 333%, saindo dos três registros no quinto mês de 2020 para 13 no mês passado. Seguida por: Mauá com 212,5% (8 para 25), Ribeirão Pires com 125% (4 para 9), Santo André com 114,2% (28 para 60), São Bernardo com 70,5% (51 para 87), Rio Grande da Serra com 66,6% (3 para 5), e Diadema com 17,8% (28 para 33).

Também aconteceram altas nos casos de lesão corporal dolosa (37,79%), roubo de veículo (34,48%), roubo (33,27%), total de roubos (32,27%), estupro de vulnerável (19,23%) e total de estupros (15,15%). As únicas quedas ocorreram com número de tentativas de homicídio (-14,28%) e de número de vítimas de homicídio doloso (-10%).

Não houve o registro de casos de homicídio doloso por acidente de trânsito, latrocínio e roubo a banco.

Fonte: Repórter Diário