Em isolamento, idosos do ABC usam a internet para espantar a solidão

28

A internet tem proporcionado inúmeros benefícios, inclusive para idosos que devido ao isolamento social tem utilizado a internet como ferramenta para comunicação, além do uso de outros aplicativos para amenizar a sensação de solidão.

No ABC, cada vez mais esse público tem aprendido como utilizar a internet mesmo enfrentando algumas dificuldades, e dessa forma conseguem preencher uma lacuna causada pela falta de encontros presenciais e atividades de lazer.

Sonia Maria Alonso, 65, moradora de Diadema conta que tem dificuldades de mexer em computadores e celulares, no entanto vem se adaptando para ter contato frequente com pessoas próximas. “A internet tem me ajudado no isolamento, utilizo aplicativo de mensagens e e-mails, porém sinto falta de conversar pessoalmente, abraçando e beijando as pessoas que eu gosto”.

Já Tereza Almeida Soares, 77, moradora de Santo André, conta que sabe apenas mexer no celular, e que esse recurso surge como uma solução para os seus problemas. “Me ajudou muito, porque tenho depressão e com isso consigo me sentir melhor. Assisto séries e vídeos para me distrair, e também me comunico de forma frequente”.

A saudade e a ausência física de família se tornam um problema para esse público, que há mais de um ano vem enfrentando a falta de convivência com aqueles que amam como uma forma de proteção contra o vírus, e veem a internet como único recurso.

É o caso de Maria Lucinda da Conceição, 74, moradora de Diadema, que costumava receber seus parentes e conhecidos de forma frequente em sua residência, e hoje se comunica com os mesmos através da tecnologia. “Tenho mais facilidade para mexer no celular do que no computador, sinto saudade de conversar pessoalmente, pois me comunico melhor”.

A Psicóloga Ana Paula Lopes, destaca que a utilização frequente da internet para esse público é muito importante. “O fato de aprender uma coisa nova ajuda muito o funcionamento cerebral de pessoas mais velhas, e é muito preventivo para doenças cognitivas como por exemplo, o Alzheimer”.

Ela ainda comenta sobre como a tecnologia pode contribuir com o isolamento social. “A possibilidade de estar em conexão com pessoas próximas é um fator positivo, isso contribui muito para que a sensação de solidão diminua, e ainda ameniza casos de depressão entre outros”, finaliza.

*Esta reportagem foi produzida por estagiários do Curso de Jornalismo Presencial da Universidade Metodista de São Paulo.