Conheça os 5 projetos mais significativos da arquitetura nacional na última década

Construir projetos arquitetônicos com criatividade não é tarefa fácil. É preciso pensar a arquitetura de forma a oferecer identidade e beleza aos projetos e, ao mesmo tempo, levar em consideração diversos aspectos como a questão da sustentabilidade, das preocupações ambientais, do local e as técnicas utilizadas na construção, bem como o conforto e bem-estar do usuário.

Nas últimas décadas, grandes projetos arquitetônicos que levam em conta as necessidades reais do mundo e aquilo que cada região tem a oferecer vêm sendo construídos tanto no Brasil quanto no restante do mundo. Reduzem impactos ambientais e apresentam soluções inteligentes aos problemas contemporâneos.

Por aqui, os escritórios nacionais estão investindo cada vez mais em pesquisas e modelos que respeitem o meio como um todo. Confira a seguir 5 exemplos de projetos grandiosos desenvolvidos no Brasil.

Cidade das Artes, de Christian de Portzamparc

A construção escultural erguida a dez metros do solo, na Barra da Tijuca, é criação do arquiteto francês Christian de Portzamparc. O local é considerado um dos mais importantes espaços de representação das artes, seja música, teatro, cinema, danças, artes plásticas e outras formas de expressão.

O local conta com sala de música, sala eletroacústica e cinema. Além disso é sede da Orquestra Sinfônica Brasileira. O cenário ao fundo da construção nada mais é que a combinação perfeita entre as montanhas e a linha do mar.

Centro de Reabilitação Sarah, de João Figueiras Lima

Localizado próximo à lagoa Jacarepaguá, no Rio, o centro de reabilitação foi projetado pelo arquiteto João Figueiras Lima. Utilizando materiais industrializados, as obras dos quatro prédios foram concluídas em 6 meses.

Além da elegância e sofisticação estética da construção, o projeto ainda se destaca pelos cuidados com a sustentabilidade, oferecendo conforto termoambiental e dialogando com o meio que a cerca.

Fundação Iberê Camargo, de Álvaro Siza Vieira

A Fundação Iberê Camargo, construída às margens do lago Guaíba, em Porto Alegre, foi construída por Álvaro Siza Vieira. Seu projeto venceu o Troféu Leão de Ouro, oferecido pela 8ª Bienal de Arquitetura de Veneza, em 2002.

A proposta do arquiteto conduz o visitante, por meio de uma elevador, a chegar ao último andar para que, lá de cima, ele possa descer pelas rampas, chegando a todos os andares. Em cada espaço são distribuídas exposições diferenciadas. O prédio não possui pilares, vigas ou lajes, as paredes são responsáveis pela sustentação da fundação.

Casa em Carapicuíba, de Álvaro Puntoni e Angelo Bucci

O projeto arquitetônico foi desenvolvido pela dupla de arquitetos Álvaro Puntoni e Angelo Bucci. A casa, construída em um terreno dentro de um condomínio fechado em Carapicuíba, São Paulo é formada pela sobreposição suspensa de volumes diferentes. Curiosamente, foi construída 6 metros abaixo do nível da rua e, para atender às necessidades dos proprietários, residência e escritório estão inclusos no mesmo projeto.

Fórum de Cuiabá, de Marcelo Suzuki

O centro político-administrativo de Cuiabá é caracterizado pelas linhas expressivas da construção de seu fórum e por sua horizontalidade. O arquiteto Marcelo Suzuki, responsável pelo projeto, aplicou na obra diversos conceitos de sustentabilidade. O fórum é coberto por telhas metálicas e em alguns trechos, sob os jardins, são utilizadas chapas translúcidas.