Saúde

Das consultas registradas, 6.743 são reclamações

0

Órgão estadual apresenta quase 1.400% de aumento nas demandas; multas aplicadas até o momento somam R$ 3 milhões

Desde o início da pandemia de COVID-19, já foram registrados mais de 17 mil atendimentos na Fundação Procon-SP por consumidores com problemas ou dúvidas relacionados à doença. O dado revela um aumento de 1.390% em relação ao dia 13 de março, que somava 1.150 atendimentos.

Das consultas registradas, 6.743 são reclamações, ou seja, conflitos com fornecedores; 6.392 são denúncias de preços abusivos e outros assuntos feitas via redes sociais e 4.037 são pedidos de orientação.

Além de intermediar as reclamações buscando um acordo entre consumidor e fornecedor, orientar individualmente os consumidores e fiscalizar as denúncias que chegam via redes sociais, o órgão estadual disponibilizou o hotsite coronavírus, com informações específicas sobre o tema, tem ministrado aulas semanais na TV Procon, realizado reuniões com fornecedores de diversos setores e aplicado multas aos estabelecimentos que infringem a legislação.

Fiscalização

As equipes de fiscalização visitaram até o momento mais de quatro mil farmácias, supermercados, hipermercados e outros estabelecimentos de 242 cidades do estado e notificou 89% dos locais a apresentarem notas fiscais para verificação da prática de preços abusivos. As multas aplicadas até o momento somam R$ 3 milhões.

O aumento de preços de itens considerados essenciais no período de avanço da doença, como alimentos, álcool em gel, botijão de gás e máscaras de proteção está sendo combatido pelo Procon-SP.

Como denunciar, reclamar e obter orientações

O consumidor que se deparar com algum valor de produtos ou serviços relacionados ao coronavírus que considere abusivo deve registrar reclamação junto ao órgão estadual. O fornecedor será multado caso a infração seja constatada.

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Saúde